Skip to content

Dinastia Filipina

1580

Descrição


A Dinastia Filipina ou Dinastia de Habsburgo (igualmente conhecida por Terceira Dinastia, Dinastia dos Áustrias, Dinastia de Espanha , Dinastia dos Filipes ou União Ibérica) foi a Dinastia Real que reinou em Portugal durante o período de união pessoal entre Portugal e  Espanha, isto é, situação em que o Rei de Espanha era simultaneamente o Rei de Portugal.

Os três Reis da Dinastia Filipina pertenciam à Casa de Habsburgo e governaram em Portugal entre 1580 e 1 de dezembro de 1640. Foram:

Filipe I de Portugal e II de Espanha r. 1580-1598

Filipe II de Portugal e III de Espanha r. 1598-1621

Filipe III de Portugal e IV de Espanha r. 1621-1640

Restauração da Independência


Os reinados de Filipe I e Filipe II foram relativamente pacíficos, principalmente porque a monarquia central pouco interferiu nas questões locais de Portugal, que continuavam a ser administradas por portugueses. A partir de 1630, já no reinado de Filipe III, a situação tendeu para um crescente descontentamento. As inúmeras guerras em que a casa de Habsburgo se vira envolvida nos últimos anos, contra os Países Baixos (Guerra dos Trinta Anos) e Inglaterra por exemplo, haviam custado muitas vidas portuguesas e oportunidades comerciais. Duas revoltas locais, em 1631 e 1637, não chegaram a ter proporções perigosas mas, em 1640, o poder militar central ficou reduzido pela guerra com a França que tinha provocado revoltas na Catalunha.

A intenção do Conde-Duque de Olivares em 1631, em usar tropas portuguesas nas zonas catalãs, terá acelerado a intervenção da França. O Cardeal Richelieu, através dos seus agentes em Lisboa, encontrou um possível candidato em João II, Duque de Bragança, neto de Catarina de Portugal. Aproveitando-se da vantagem da falta de popularidade da governadora Margarida de Sabóia, duquesa de Mântua e do seu secretário de estado Miguel de Vasconcelos, os líderes do partido da independência conduziram uma conjura de palácio em 1 de dezembro de 1640. Vasconcelos foi praticamente a única vítima, tendo sido defenestrado. A 15 de dezembro de 1640 o duque de Bragança foi aclamado rei como João IV, mas, ainda com medo à reação de Filipe III, recusou-se a ser coroado, consagrando a coroa portuguesa a Nossa Senhora de Vila Viçosa.

Ascensão à Coroa Portuguesa


A dinastia filipina subiu ao trono português na crise sucessória de 1580, aberta com o desaparecimento de Sebastião de Portugal na batalha de Alcácer-Quibir sem descendentes e com a derrota do legítimo sucessor, o seu tio-avô o Cardeal-Rei D. Henrique, igualmente sem descendência quando morreu.

Com o fim da linha direta de João III de Portugal, havia três hipóteses de sucessão:

Catarina de Portugal, neta de Manuel I de Portugal, esposa de João I, Duque de Bragança ou o seu filho adolescente Teodósio;

António, Prior do Crato, neto de Manuel I, mas tido pela sociedade da época como ilegítimo;

Filipe de Habsburgo, Rei de Espanha, também neto de Manuel I, por via feminina.

Filipe II de Espanha acabou por ser reconhecido como rei de Portugal, por ser o parente legítimo mais próximo nas Cortes de Tomar de 1581.

No entanto, a ideia da perda de independência levara a uma revolução, sob a liderança do Prior do Crato, que tinha chegado a ser proclamado rei um ano antes, em 1580, tendo lutado até ao fim, chegando a governar até 1583 com corte na ilha Terceira, nos Açores.

O prior do Crato acabaria derrotado, sobretudo pelo apoio da nobreza tradicional e da burguesia a Filipe. Para consegui-lo, Filipe comprometeu-se, naquelas Cortes, a manter e respeitar os foros, costumes e privilégios dos portugueses. O mesmo aconteceria com os ocupantes de todos os cargos da administração central e local, assim como com os efectivos das guarnições e das frotas da Guiné e da Índia. Nelas estiveram presentes todos os procuradores das vilas e cidades portuguesas, excepção feita às açorianas, fiéis ao prior do Crato, que na Terceira resistia. Era o princípio da união pessoal, que vigoraria sem grandes alterações até cerca de 1620, apesar das intervenções inglesas de 1589 nos Açores.

Durante a chamada União Ibérica, os domínios da Dinastia Filipina passaram a formar um dos mais vastos impérios da História, compreendendo territórios em quase todas as partes do mundo.

Armas da Monarquia Habsburgo após a integração da Coroa de Portugal; o brasão português em ponto de...
null

0 comments

Comment

No comments avaliable.

Author

Info

Published in 25/01/2019

Updated in 19/02/2021

All events in the topic Dinastias Portuguesas:


12/05/1112Afonso I - O ConquistadorAfonso I - O Conquistador
06/12/1185Sancho I - O PovoadorSancho I - O Povoador
26/03/1211Afonso II - O GordoAfonso II - O Gordo
26/03/1223Sancho II - O CapeloSancho II - O Capelo
04/01/1248Afonso III - O BolonhêsAfonso III - O Bolonhês
16/02/1279Dinis I - O LavradorDinis I - O Lavrador
07/01/1325Afonso IV - O BravoAfonso IV - O Bravo
28/05/1357Pedro I - O JusticeiroPedro I - O Justiceiro
18/01/1367Fernando I - O FormosoFernando I - O Formoso
14/08/1433Duarte I - O EloquenteDuarte I - O Eloquente
13/09/1438Afonso V - O AfricanoAfonso V - O Africano
11/11/1477João II - O Príncipe PerfeitoJoão II - O Príncipe Perfeito
25/10/1495Manuel I - O VenturosoManuel I - O Venturoso
13/12/1521João III - O PiedosoJoão III - O Piedoso
11/06/1557Regente - Catarina de ÁustriaRegente - Catarina de Áustria
12/06/1557Sebastião I - O DesejadoSebastião I - O Desejado
04/08/1578Henrique I - O CastoHenrique I - O Casto
17/05/1581Filipe I - O PrudenteFilipe I - O Prudente
13/09/1598Filipe II - O PioFilipe II - O Pio
31/03/1621Filipe III - O GrandeFilipe III - O Grande
01/12/1640João IV - O RestauradorJoão IV - O Restaurador
01/12/1640Regente - Luísa de GusmãoRegente - Luísa de Gusmão
06/11/1656Afonso VI - O VitoriosoAfonso VI - O Vitorioso
12/09/1683Pedro II - O PacíficoPedro II - O Pacífico
09/12/1706João V - O MagnânimoJoão V - O Magnânimo
31/07/1750José I - O ReformadorJosé I - O Reformador
24/02/1777Maria I - A PiedosaMaria I - A Piedosa
25/02/1777Pedro III - O EdificadorPedro III - O Edificador
20/03/1816João VI - O ClementeJoão VI - O Clemente
12/10/1822Pedro IV - O Rei SoldadoPedro IV - O Rei Soldado
02/05/1826Regente - Isabel Maria de BragançaRegente - Isabel Maria de Bragança
11/07/1828Miguel I - O AbsolutistaMiguel I - O Absolutista
26/05/1834Maria II - A EducadoraMaria II - A Educadora
09/04/1836Fernando II - O Rei ArtistaFernando II - O Rei Artista
15/11/1853Pedro V - O EsperançosoPedro V - O Esperançoso
11/11/1861Luís I - O PopularLuís I - O Popular
19/10/1889Carlos I - O DiplomataCarlos I - O Diplomata
01/02/1908Manuel II - O PatriotaManuel II - O Patriota
1096Dinastia de BorgonhaDinastia de Borgonha
1383Dinastia de AvisDinastia de Avis
1580Dinastia FilipinaDinastia Filipina
1640Dinastia de BragançaDinastia de Bragança
05/10/1910Implantação da RepúblicaImplantação da República