Busca por outros espaços para acervos e equipes

01/09/20132015

Após o fechamento do Museu para o público, em agosto de 2013, foi iniciado o trabalho de pesquisa de imóveis para receber as equipes e acervos da instituição. 

Os novos espaços precisavam acomodar cerca de 450 mil itens, entre objetos como esculturas, quadros, jóias, moedas, medalhas, móveis, documentos e utensílios, iconografia e documentação arquivística datadas desde o século 16 até meados do século 20, além dos laboratórios de conservação e todas as equipes.

Em um primeiro momento, os itens de pequeno e médio porte foram temporariamente movidos para fora das áreas de risco do edifício, para mais tarde serem transferidos. 

Já os de grande porte foram protegidos, pois não sairiam do local em que estavam. Esse foi o caso da pintura Independência ou morte, de Pedro Américo, localizada no Salão Nobre. Ainda em 2013, esse espaço contou com um trabalho de escoramento dos forros do teto, visando a proteção da obra. 

Em janeiro de 2014, foi a vez da Maquete de São Paulo, que passou a ser protegida também por uma estrutura de escoramento dos forros. As pinturas de grandes dimensões: A Conversão do Apóstolo Paulo a Caminho de Damasco e A partida da Monção, também permaneceram em suas salas originais. 

Ao final, cerca de 30 itens entre esculturas, mobiliários, maquetes e pinturas continuaram no interior do edifício.

A preparação para a transferência dos acervos durou cerca de dois anos. Em março de 2015, foram alugadas três casas e quatro galpões na região do Museu. 

Os novos espaços foram divididos de acordo com as tipologias das coleções e atividades. Foram criadas as reservas técnicas de objetos tridimensionais, documentação textual e iconográfica, objetos de grandes dimensões, e também dois espaços para as atividades educativas, culturais e administrativas. 

A partir de então, as equipes dos diversos setores do Museu se mobilizaram para começar os preparativos para a transferência. 

O Museu contou com o apoio da FAPESP para equipar todas as reservas técnicas com mobiliário e embalagens adequados, além de instrumentos para os laboratórios e monitoramento das condições dos acervos. 

Por meio do projeto de pesquisa Cultura Material e Gestão de Acervos, a FAPESP contribuiu com R$1.6 milhões destinados às melhorias das condições de guarda e manuseio de acervos, garantindo, assim, a realização de pesquisas pelo museu.

Referência:

Relatório de Atividades de 2019

 

0 comments

Comment
No comments avaliable.

Author

Info

Published in 8/09/2021

Updated in 25/11/2021

All events in the topic ACERVO EM TRANSFORMAÇÃO:


1989Saída de acervos para o MAESaída de acervos para o MAE
1990Plano Diretor
1991Arquivo Permanente do Museu Paulista
1996Primeira doação patrocinada do MuseuPrimeira doação patrocinada do Museu
2019Plano Museológico
2000Exposição Trilhos e SonhosExposição Trilhos e Sonhos
2002Criação da Reserva Técnica DidáticaCriação da Reserva Técnica Didática
23/01/200528/10/2007Exposição Imagens Recriam a História Exposição Imagens Recriam a História
2012Exposição Morar Paulistano
01/09/20132015Busca por outros espaços para acervos e equipes
2017Novas reservas técnicasNovas reservas técnicas
06/201808/2019Conclusão da transferência do acervoConclusão da transferência do acervo
01/201912/2019Restauro de obras do acervoRestauro de obras do acervo
2020Diagnóstico dos acervos selecionados
02/2019Convênio com a Fundação Banco do BrasilConvênio com a Fundação Banco do Brasil
2020O museu na cultura digital
05/2020Escutas com grupos sociaisEscutas com grupos sociais
11/2020Projeto expográficoProjeto expográfico
12/2020Serviços de gestão de equipes
06/11/2020Convênio com BNDES
11/2021Conclusão
2022Contagem regressiva
2020Diagnóstico dos acervos selecionados