Skip to content

Os portugueses ganham a batalha dos Atoleiros

06/04/1384

A Batalha dos Atoleiros ocorreu a 6 de abril de 1384, no atual município português de Fronteira, distrito de Portalegre e a cerca de 60 km da fronteira com Castela, entre as forças portuguesas, comandadas por Nuno Álvares Pereira e uma expedição castelhana, enviada por João I de Castela, para junto da povoação com o mesmo nome, no Alentejo.

D. Nuno Álvares Pereira, chefe militar português que tinha sob o seu comando uma força de 1.500 homens a pé, dos quais 100 eram besteiros e 300 lanceiros ingleses (cavalaria ligeira e pesada). As forças castelhanas invasoras contavam com um efetivo de cinco mil homens.

Por esta altura, Nuno Álvares Pereira fora nomeado pelo Mestre de Avis como fronteiro do Alentejo, temendo este a entrada em Portugal do exército castelhano por aquela zona. Partindo de Lisboa, D. Nuno aumentou o número dos seus homens pelo caminho e aproximou-se do exército inimigo, que intentava cercar Fronteira. Mais numerosos e conscientes, os castelhanos enviaram um emissário ao chefe do exército português, tentando dissuadi-lo. Perante a recusa dos portugueses o exército castelhano foi ao seu encontro. O exército português já os aguardava, formando um quadrado (retângulo, mais precisamente) com a maioria dos veteranos lanceiros ingleses na vanguarda; nas alas e retaguarda estavam os peões, misturados com mais lanceiros ingleses. Os castelhanos atacaram com a cavalaria, que foi contida pelos lanceiros ingleses e por virotões, o que gerou grande desordem. A batalha durou pouco, tendo o exército castelhano sofrido pesadas baixas.

As tropas castelhanas começaram a recuar, sendo perseguidas ao longo daquele dia pelas forças de D. Nuno Álvares Pereira, que foi no seu encalço até à distância de cerca de sete quilómetros do local da batalha.

A batalha dos Atoleiros constituiu, na Península Ibérica, a primeira e efetiva utilização das novas técnicas de defesa de forças de infantaria em inferioridade numérica - aprendida com os ingleses - perante uma cavalaria pesada muito superior. A mais conhecida destas será a técnica de «pé terra»» ou «pé em terra», pela primeira vez usada em Portugal: consistia em peões armados com lanças a esperar a carga da cavalaria inimiga, adotando uma tática defensiva.

Uma das mais curiosas notas da batalha é que, embora as forças de Castela tenham sofrido perdas muito elevadas, principalmente relacionado com o número elevado de mortos entre a cavalaria pesada (que era a força castelhana mais importante), do lado português não ocorreu uma única morte, julgam alguns, nem se registaram feridos - algo pouco provável, pois o ataque castelhano consistiu primeiro em atacar a cavalo e, como tal não surtiu efeito, uma nova investida foi feita a pé, havendo então combate corpo a corpo.

Este facto só por si foi importante pois, para a realidade da Idade Média, um ambiente extremamente condicionado pela religião, a inexistência de mortos ou feridos foi vista como um prova de que o lado português tinha o apoio de Deus.



Pintura de Jaime Martins Barata - Batalha dos Atoleiros
Raul Xavier, Alegoria a D. Nuno Álvares Pereira: Atoleiros, Aljubarrota, Valverde, 1959, S. Jorge
BATALHA DOS ATOLEIROS

0 comments

Comment

No comments avaliable.

Author

Info

Published in 25/01/2019

Updated in 19/02/2021

All events in the topic Diplomacia e Guerra:


09/05/1386Tratado de WindsorTratado de Windsor
01/12/164013/02/1668Guerra da RestauraçãoGuerra da Restauração
06/12/1383A morte do Conde AndeiroA morte do Conde Andeiro
05/1384Começa o cerco de LisboaComeça o cerco de Lisboa
29/05/1385Batalha de Trancoso;
14/10/1385Portugal vence a Batalha de Valverde
20/05/1449Batalha de AlfarrobeiraBatalha de Alfarrobeira
21/08/1415Conquista de CeutaConquista de Ceuta
01/03/1476Batalha de ToroBatalha de Toro
04/1478Batalha Naval da GuinéBatalha Naval da Guiné
04/08/1578Batalha de Alcácer-QuibirBatalha de Alcácer-Quibir