Skip to content

Morre, Nuno Alves Pereira

01/11/1431

As relíquias do Santo Condestável

Depois do terramoto de 1755, as poucas ossadas de D. Nuno Álvares Pereira que sobreviveram à catástrofe foram colocadas numa réplica do seu túmulo em madeira, a 21 de março de 1768, onde ficaram até 14 de março de 1856. Depois, foram removidas e postas numa urna forrada a veludo, a 9 de março de 1895. Em 1912, foram depostas num relicário de prata e devotamente percorreram o país. Até que, em 1967, as relíquias foram roubadas e nunca mais recuperadas.

Outros ossos do Santo e Guerreiro, que por cautela antecipada estavam guardados noutro lugar, substituíram os roubados e foram divididos em duas partes, uma destinada à veneração na capela da Ordem Terceira, no Largo do Carmo, ao lado das ruínas do convento, e outra para a igreja do Santo Condestável, em Campo de Ourique, onde as ossadas ficaram numa urna debaixo do altar-mor.

A sepultura original, conforme Frei D. Nuno rogara como esmola pouco antes de falecer, era “uma mortalha e uma cova para o corpo”. Portanto, campa rasa simples e humilde. Mas algum tempo depois foi construído um túmulo condigno com a sua grande pessoa, inscrevendo-lhe o seguinte epitáfio: “Aqui jaz o famoso Nuno, o Condestável, fundador da Casa de Bragança, excelente general, beato monge, que durante a vida na Terra tão ardentemente desejou o Reino dos Céus depois da morte, e mereceu a eterna companhia dos Santos. As suas honras terrenas foram incontáveis, mas voltou-lhes as costas. Foi um grande Príncipe, mas fez-se humilde monge. Fundou, construiu e dedicou esta igreja onde descansa o seu corpo”.



Réplica do túmulo de Nuno Álvares Pereira no Convento do Carmo, Lisboa

O túmulo estava junto ao altar-mor e continha um único corpo amortalhado, com uma espécie de gaveta isolada que protegia a cabeça, evitando o contacto desta com a terra e a cal. Este artefacto, caído em desuso cerca de um século antes da morte de D. Nuno Álvares Pereira, era igual ao dos lendários cavaleiros da Távola Redonda cujos feitos o haviam inspirado tanto desde a infância. Aliás, a sua mãe, D. Irene, apelidava-o em pequeno de Galaaz, nome do mais puro dos cavaleiros da Távola do rei Artur Pendragon. O próprio povo, que rompia o chão da igreja para conseguir uma mão cheia de terra santa da sua sepultura miraculosa, considerava-o o último cavaleiro medieval, modelo de justiça e perfeição.

Fonte: https://lusophia.wordpress.com/2009/10/27/nuno-alvares-pereira-o-santo-guerreiro-vitor-manuel-adriao/

0 comments

Comment
No comments avaliable.

Author

Info

Published in 16/05/2019

Updated in 19/02/2021

All events in the topic Nuno Álvares Pereira - Vida e Legado:


24/06/1360Nascimento de Nuno Álvares PereiraNascimento de Nuno Álvares Pereira
15/08/1423Ingressa no Convento do Carmo a 15 de agostoIngressa no Convento do Carmo a 15 de agosto
1921Início do Processo de CanonizaçãoInício do Processo de Canonização
26/04/2009Anúncio da canonizaçãoAnúncio da canonização
2020LegadoLegado
14/10/1385A célebre batalha de ValverdeA célebre batalha de Valverde
21/08/1415Participou da Conquista de CeutaParticipou da Conquista de Ceuta
01/11/1431Morre, Nuno Alves PereiraMorre, Nuno Alves Pereira
15/08/1376Casa com Leonor de AlvimCasa com Leonor de Alvim
01/11/1755O terramoto de 1755O terramoto de 1755
14/08/1951Transladação dos restos mortais para a Igreja do Santo CondestávelTransladação dos restos mortais para a Igreja do Santo Condestável
14/08/1385A Batalha de Aljubarrota, vitória decisiva de Portugal;A Batalha de Aljubarrota, vitória decisiva de Portugal;
01/01/138431/12/1384Campanha Militar - 1384Campanha Militar - 1384
01/01/138531/12/1385Campanha Militar - 1385Campanha Militar - 1385
01/01/138631/12/1386Campanha Militar - 1386Campanha Militar - 1386
01/01/138731/12/1387Campanha Militar - 1387Campanha Militar - 1387
1361É legitimado por D. Pedro IÉ legitimado por D. Pedro I
1373A morte de D. Fernando e o início da CriseA morte de D. Fernando e o início da Crise
1383Nuno Alvares Pereira toma partido do Mestre de AvisNuno Alvares Pereira toma partido do Mestre de Avis
06/04/1384Vence os castelhanos na Batalha dos Atoleiros.Vence os castelhanos na Batalha dos Atoleiros.
1388Começa a construção da capela de S. Jorge, em Aljubarrota.Começa a construção da capela de S. Jorge, em Aljubarrota.
1389Começa a construção do Convento do Carmo, em Lisboa.Começa a construção do Convento do Carmo, em Lisboa.
1393Partilha com os companheiros de armas muitas das suas terras.Partilha com os companheiros de armas muitas das suas terras.
1397Primeiros carmelitas vêm viver para o Convento do Carmo.Primeiros carmelitas vêm viver para o Convento do Carmo.
31/10/1411Fim das hostilidades com Castela.Fim das hostilidades com Castela.
1412Morre a filha, D. Beatriz. Projeta tornar-se carmelita.Morre a filha, D. Beatriz. Projeta tornar-se carmelita.
1422Reparte pelos netos os seus títulos e domínios.Reparte pelos netos os seus títulos e domínios.
1522Primeira trasladação dos restos mortaisPrimeira trasladação dos restos mortais
1548Segunda trasladação dos restos mortaisSegunda trasladação dos restos mortais
21/03/1768Terceira trasladação dos restos mortaisTerceira trasladação dos restos mortais
14/03/1836Quarta trasladação dos restos mortais.Quarta trasladação dos restos mortais.
23/01/1918O Papa Bento XV confirma o culto do Santo CondestávelO Papa Bento XV confirma o culto do Santo Condestável
1940Processo de Canonização suspensoProcesso de Canonização suspenso
2004Reinício do processo de CanonizaçãoReinício do processo de Canonização
1384Início da Campanha de 1384Início da Campanha de 1384
02/1384Em busca de provisões
03/1384Combate naval no Tejo: Lisboa> AlmadaCombate naval no Tejo: Lisboa> Almada
03/1384Diplomacia por Almada e conquista do Castelo
03/1384A caminho de Entre Tejo e GuadianaA caminho de Entre Tejo e Guadiana
04/1384Tentativa de arregimentar novos soldados na comarca de ÉvoraTentativa de arregimentar novos soldados na comarca de Évora
04/1384O cerco de Monforte e Tomada do Castelo de ArronchesO cerco de Monforte e Tomada do Castelo de Arronches
06/1384A Frota do PortoA Frota do Porto
07/1384Combate na Ribeira de Alperrejão
25/07/1384Combate junto ao GuadianaCombate junto ao Guadiana
01/08/1384Movimento para Ponte de Sôr
08/1384O Cerco ao Fronteiro-MorO Cerco ao Fronteiro-Mor
08/1384Novas ordensNovas ordens
30/08/1384Combate e Reconquista de Almada
10/1384O fim do Cerco de Lisboa
11/1384Tomada do Castelo de PortelTomada do Castelo de Portel
12/1384A conspiração contra o MestreA conspiração contra o Mestre
12/1384Insistência por Vila Viçosa
15/03/1384A caminho de Entre Tejo e Guadiana
22/04/1384 • 12:34:49O cerco de Monforte e Tomada do Castelo de Arronches
15/07/1384 • 12:43:14Tomada do Castelo de Monsaraz
15/08/1384 • 13:11:08 (Aprox)O Cerco ao Fronteiro-Mor
20/08/1384 (Aprox)Novas Ordens