Skip to content

IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA

05/10/1910View on timeline

A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de uma revolução organizada pelo Partido Republicano Português, iniciada no dia 2 de outubro e vitoriosa na madrugada do dia 5 de outubro de 1910, que destituiu a monarquia constitucional e implantou um regime republicano em Portugal.

A subjugação do país aos interesses coloniais britânicos, os gastos da família real, o poder da igreja, a instabilidade política e social, o sistema de alternância de dois partidos no poder (o Partido Progressista e o Partido Regenerador), a ditadura de João Franco, a aparente incapacidade de acompanhar a evolução dos tempos e se adaptar à modernidade — tudo contribuiu para um inexorável processo de erosão da monarquia portuguesa[4] do qual os defensores da república, particularmente o Partido Republicano, souberam tirar o melhor proveito.[5] Por contraponto, o partido republicano apresentava-se como o único que tinha um programa capaz de devolver ao país o prestígio perdido e colocar Portugal na senda do progresso.

Após a relutância do exército em combater os cerca de dois mil soldados e marinheiros revoltosos entre 3 e 4 de outubro de 1910, a República foi proclamada às 9 horas da manhã do dia seguinte da varanda dos Paços do Concelho de Lisboa. Após a revolução, um governo provisório chefiado por Teófilo Braga dirigiu os destinos do país até à aprovação da Constituição de 1911 que deu início à Primeira República. Entre outras mudanças, com a implantação da República, foram substituídos os símbolos nacionais: o hino nacional, a bandeira e a moeda

A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de uma revolução organizada pelo Partido Republicano Português, iniciada no dia 2 de outubro e vitoriosa na madrugada do dia 5 de outubro de 1910, que destituiu a monarquia constitucional e implantou um regime republicano em Portugal.

A subjugação do país aos interesses coloniais britânicos, os gastos da família real, o poder da igreja, a instabilidade política e social, o sistema de alternância de dois partidos no poder (o Partido Progressista e o Partido Regenerador), a ditadura de João Franco, a aparente incapacidade de acompanhar a evolução dos tempos e se adaptar à modernidade — tudo contribuiu para um inexorável processo de erosão da monarquia portuguesa[4] do qual os defensores da república, particularmente o Partido Republicano, souberam tirar o melhor proveito.[5] Por contraponto, o partido republicano apresentava-se como o único que tinha um programa capaz de devolver ao país o prestígio perdido e colocar Portugal na senda do progresso.

Após a relutância do exército em combater os cerca de dois mil soldados e marinheiros revoltosos entre 3 e 4 de outubro de 1910, a República foi proclamada às 9 horas da manhã do dia seguinte da varanda dos Paços do Concelho de Lisboa. Após a revolução, um governo provisório chefiado por Teófilo Braga dirigiu os destinos do país até à aprovação da Constituição de 1911 que deu início à Primeira República. Entre outras mudanças, com a implantação da República, foram substituídos os símbolos nacionais: o hino nacional, a bandeira e a moeda

A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de uma revolução organizada pelo Partido Republicano Português, iniciada no dia 2 de outubro e vitoriosa na madrugada do dia 5 de outubro de 1910, que destituiu a monarquia constitucional e implantou um regime republicano em Portugal.

A subjugação do país aos interesses coloniais britânicos, os gastos da família real, o poder da igreja, a instabilidade política e social, o sistema de alternância de dois partidos no poder (o Partido Progressista e o Partido Regenerador), a ditadura de João Franco, a aparente incapacidade de acompanhar a evolução dos tempos e se adaptar à modernidade — tudo contribuiu para um inexorável processo de erosão da monarquia portuguesa[4] do qual os defensores da república, particularmente o Partido Republicano, souberam tirar o melhor proveito.[5] Por contraponto, o partido republicano apresentava-se como o único que tinha um programa capaz de devolver ao país o prestígio perdido e colocar Portugal na senda do progresso.

Após a relutância do exército em combater os cerca de dois mil soldados e marinheiros revoltosos entre 3 e 4 de outubro de 1910, a República foi proclamada às 9 horas da manhã do dia seguinte da varanda dos Paços do Concelho de Lisboa. Após a revolução, um governo provisório chefiado por Teófilo Braga dirigiu os destinos do país até à aprovação da Constituição de 1911 que deu início à Primeira República. Entre outras mudanças, com a implantação da República, foram substituídos os símbolos nacionais: o hino nacional, a bandeira e a moeda

República
República
República

0 comments

Comment

No comments avaliable.

Author

Info

Published in 25/05/2020

Updated in 19/02/2021

All events in the topic Historia de Lisboa e de Portugal:


Invalid DateREINO DE PORTUGALREINO DE PORTUGAL
Invalid DateCERCO DE LISBOACERCO DE LISBOA
Invalid DateREGICÍDIOREGICÍDIO
Invalid DateIMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICAIMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA
Invalid DateD. SEBASTIÃOD. SEBASTIÃO
Invalid DateDINASTIA FILIPINADINASTIA FILIPINA
Invalid DateDINASTIA DE AVISDINASTIA DE AVIS
Invalid DateRESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIARESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA
Invalid DateDINASTIA DE BRAGANÇADINASTIA DE BRAGANÇA
Invalid DateEXPO 98EXPO 98
Invalid DateMUSEU DOS COCHESMUSEU DOS COCHES
Invalid DateBARROCOBARROCO
Invalid DateESTILO POMBALINOESTILO POMBALINO
Invalid DateSISMOSISMO
Invalid DateGAIOLA POMBALINA - SISMOLOGIAGAIOLA POMBALINA - SISMOLOGIA
Invalid DateAv. DA LIBERDADEAv. DA LIBERDADE
Invalid DatePASSEIO PUBLICOPASSEIO PUBLICO
Invalid DateDUARTE PACHECO - VIADUTO E OUTRAS OBRASDUARTE PACHECO - VIADUTO E OUTRAS OBRAS
Invalid DateTORRE DE BELÉMTORRE DE BELÉM
Invalid DatePONTE SOBRE O TEJOPONTE SOBRE O TEJO
Invalid DatePARQUE MAYER
Invalid DatePARQUE MAYERPARQUE MAYER
Invalid DateMETROPOLITANO
Invalid DateMETROPOLITANOMETROPOLITANO
Invalid DateMETROPOLITANO DE LISBOAMETROPOLITANO DE LISBOA
Invalid DateLNECLNEC
Invalid DateZOOZOO