Skip to content

João Figueiredo

15/03/1979

Descrição

João Baptista de Oliveira Figueiredo (Rio de Janeiro–DF, 15 de janeiro de 1918 — Rio de Janeiro, 24 de dezembro de 1999) foi um geógrafo, político e militar brasileiro. Foi o 30º Presidente do Brasil, de 1979 a 1985, e o último presidente do período da ditadura militar no Brasil.

Nascido na Rua Sá Freire no bairro Imperial de São Cristóvão no Rio de Janeiro era filho do General Euclides Figueiredo, comandante da Revolução Constitucionalista de 1932. Figueiredo estudou no Colégio Militar de Porto Alegre, na Escola Militar de Realengo, na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e na Escola Superior de Guerra. Ingressou na carreira política ao ser nomeado Secretário Geral do Conselho de Segurança Nacional do governo do Presidente Jânio Quadros e, em 1964, foi integrante do movimento que culminou com o Golpe militar de 1964, que depôs o então presidente João Goulart e deu início ao Regime Militar no Brasil. Comandou e chefiou várias companhias militares durante os primórdios da Ditadura Militar, como a agência do Serviço Nacional de Informações (SNI) no Rio de Janeiro de 1964 a 1966, exerceu o comando da Força Pública de São Paulo de 1966 a 1967, do 1º Regimento de Cavalaria de Guardas de 1967 a 1969 e foi Chefe do Estado-Maior do III Exército em 1969.

Indicado por seu antecessor Ernesto Geisel, concorreu para presidente na eleição de 1978 pelo Aliança Renovadora Nacional (ARENA), na chapa com Aureliano Chaves para vice-presidente. Os adversários de Figueiredo eram o General Euler Bentes Monteiro para presidente, com Paulo Brossard para vice-presidente, ambos do Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Com 355 votos (61,1%) contra 226 dados a Monteiro (38,9%), foi eleito pelo Colégio eleitoral. Em sua posse, pronunciou a famosa frase em que dizia que faria "deste país uma democracia".

O mandato foi marcado pela continuação da abertura política iniciada no governo Geisel. Pouco tempo depois de assumir o cargo, houve uma concessão de anistia "ampla, geral e irrestrita" aos políticos cassados com base em atos institucionais. Em 1980, extinguiu-se o bipartidarismo instaurado. A partir deste fato, foi criado o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) como sucessor do MDB, e o Partido Democrático Social (PDS) como sucessor do ARENA, além de outros novos partidos. Figueiredo, assim, virou filiado ao PDS. A 22 de Setembro de 1981 foi agraciado com o Grande-Colar da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada de Portugal. Em 1982, engendrou-se uma reforma eleitoral para assegurar à situação maioria nas eleições de 1982, nas quais se defrontariam os governistas do PDS e quatro legendas de oposição. Contudo, durante o seu governo ocorreram vários atentados terroristas, atribuídos a setores da direita e militares da linha dura. A gestão ficou marcada pela grave crise econômica que assolou o mundo, com as altas taxas de juros internacionais, pelo segundo choque do petróleo em 1979, a disparada da inflação, que passou de 45% ao ano para 230% ao longo de seis anos, e com a dívida externa crescente no Brasil, que, pela primeira vez, rompeu a marca dos 100 bilhões de dólares, o que levou o governo a recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI) em 1982. Neste ano, houve a criação do Estado de Rondônia. No ano seguinte, iniciaram-se as campanhas das Diretas Já, que acabaram rejeitadas no Congresso Nacional. Entretanto, o governo Figueiredo permitiu a eleição presidencial indireta, que decretaria o fim do Regime Militar.

Os seis anos do seu mandato registraram crescimento de 13,93% do PIB (média de 2,34%), porém com redução de 0,17% da renda per capita. Figueiredo assumiu com a inflação em 40,81% e entregou a 215,27%.

João Figueiredo
Conhecendo os Presidentes - Ep. 27

0 comments

Comment

No comments avaliable.

Author

Info

Published in 14/08/2018

Updated in 19/02/2021

All events in the topic Monarquia e Presidente do Brasil:


23/01/1808 • 22:53:32Chegada da Corte no BrasilChegada da Corte no Brasil
24/04/1821 • 23:53:32Retorno de Dom João VI a PortugalRetorno de Dom João VI a Portugal
11/10/1822 • 23:53:32Dom Pedro IDom Pedro I
06/04/1831 • 23:53:32Dom Pedro IIDom Pedro II
14/11/1889 • 22:53:32Deodoro da FonsecaDeodoro da Fonseca
24/02/1891 • 23:53:32Mal Deodoro da Fonseca eleito presidente
22/11/1891 • 22:53:32Floriano PeixotoFloriano Peixoto
14/11/1894 • 22:53:32Prudente de MoraisPrudente de Morais
14/11/1898 • 22:53:32Campos SalesCampos Sales
14/11/1902 • 22:53:32Rodrigues AlvesRodrigues Alves
14/11/1906 • 22:53:32Afonso PenaAfonso Pena
13/06/1909 • 23:53:32Nilo PeçanhaNilo Peçanha
14/11/1910 • 22:53:32Hermes da FonsecaHermes da Fonseca
14/11/1914 • 23:00:00Venceslau BrásVenceslau Brás
14/11/1918 • 23:00:00Delfim MoreiraDelfim Moreira
28/07/1919Epitacio PessoaEpitacio Pessoa
14/11/1922 • 23:00:00Artur BernardesArtur Bernardes
14/11/1926 • 23:00:00Washington LuisWashington Luis
02/11/1930 • 23:00:00Getulio VargasGetulio Vargas
30/01/1946 • 23:00:00Eurico Gaspar DutraEurico Gaspar Dutra
31/01/1951Getulio VargasGetulio Vargas
24/08/1954Café FilhoCafé Filho
30/01/1956 • 23:00:00Jucelino KubitschekJucelino Kubitschek
30/01/1961 • 23:00:00Janio QuadrosJanio Quadros
07/09/1961João GoulartJoão Goulart
15/04/1964Humberto de Alencar Castelo BrancoHumberto de Alencar Castelo Branco
15/03/1967Artur da Costa e SilvaArtur da Costa e Silva
29/10/1969 • 23:00:00Emilio Garrastazu MediciEmilio Garrastazu Medici
15/03/1974Ernesto GeiselErnesto Geisel
15/03/1979João FigueiredoJoão Figueiredo
15/03/1985José SarneyJosé Sarney
15/03/1990Fernando CollorFernando Collor
29/12/1992Itamar FrancoItamar Franco
01/01/1995Fernando Henrique CardosoFernando Henrique Cardoso
01/01/2003Luiz Inácio Lula da SilvaLuiz Inácio Lula da Silva
01/01/2011Dilma RoussefDilma Roussef
31/08/2016Michel TemerMichel Temer