A década de 1980

30/11/1980View on timeline

O Benfica abriu a década de 1980 com novo pleno nacional: Campeonato, Taça de Portugal (3–1 ao FC Porto na final) e a Supertaça Cândido de Oliveira, pela primeira vez na história do clube.

Contudo, a época seguinte foi negativa. O Benfica nada venceu e era chegada a altura de escolher novo treinador. Da Suécia chegou um jovem treinador chamado Sven Göran Eriksson que iria revolucionar o futebol benfiquista e por extensão o futebol português.

Com métodos novos e modernos para a época, e apoiado por um conjunto de grandes jogadores, o Benfica faz nova temporada de ouro. Conquista o Campeonato, a Taça de Portugal (1–0 ao FC Porto, em jogo disputado no Estádio das Antas) e chega à final da Taça UEFA. Contudo, infelizmente não foi possível juntar a Taça UEFA a estas duas conquistas, pois o SL Benfica perdeu em Bruxelas frente ao Anderlecht por 1–0 e na 2 mão já em Lisboa acabaria por empatar 1–1.

Na época seguinte, após conseguir o bicampeonato, Eriksson parte para a AS Roma. O pós-Eriksson revela-se, contudo, difícil e o Benfica falha os títulos de 1984/85 e 1985/86. Porém, não falha nos outros troféus, já que conquista neste período as duas edições da Taça de Portugal em disputa (3–1 ao FC Porto e 2–0 ao Belenenses nas finais) a que junta uma Supertaça Cândido de Oliveira.

Entretanto, durante o mandato de Fernando Martins, o terceiro anel do Estádio da Luz é fechado, aumentando a capacidade para uns impressionantes 120 000 lugares.

Em 1986/87, o Benfica sofre a maior goleada de sempre aos pés do Sporting (1–7), mas "vinga-se" meses depois com vitórias sobre o eterno rival na final da Taça de Portugal (2–1) e no campeonato no jogo que lhe dá o título, conquistando assim a dobradinha pela nona vez na sua História. O Benfica vencia a prova rainha pela terceira vez consecutiva e a sexta em oito anos.

Em 1987/88, o Benfica falha o bicampeonato, mas volta a brilhar na Europa, atingindo 20 anos depois da final de Wembley de 1968, a final da Taça dos Campeões Europeus.

Num jogo muito renhido, o Benfica acaba por perder a final nas grandes penalidades para o PSV.

No ano seguinte o Benfica recupera o título de campeão e, em 1989/90, já com Eriksson de volta, para além de vencer uma Supertaça, o Benfica atinge novamente a final da TCE.

Só que, mais uma vez, volta a perder, desta vez para o AC Milan por 1–0. Nas modalidades, arranca, nos finais da década a hegemonia do basquetebol que duraria até meio da década de 1990.

0 comments

Comment

No comments avaliable.

Author

Info

Published in 10/09/2018

Updated in 19/02/2021

All events in the topic História:


Invalid DateInícioInício
Invalid DateA década de 1950
Invalid DateA década de 1960
Invalid DateA década de 1970
Invalid DateA década de 1980
Invalid DateA década de 1990
Invalid DateOs anos de reconstrução
Invalid DateÉpoca 2009–2010
Invalid DateÉpoca 2010–2011
Invalid DateÉpoca 2011–2012
Invalid DateÉpoca 2012–2013
Invalid DateÉpoca 2012–2013
Invalid DateÉpoca 2013–2014
Invalid DateÉpoca 2014-2015
Invalid DateÉpoca 2015-2016