Trajetos para o olhar - Copy

31/05/2022
Imagem de Há terra!, Ana Vaz, 2016, Vídeo, 12’37”, cor, estéreo
    

Construindo em volta do observar:

Proposta para mediação no espaço expositivo do MAES.

Com base na expografia da exposição, eixo “Arte e Geopolítica” situada no MAES, criou-se percursos para serem desenvolvidos com grupos sob agendamento e percursos individuais que levam em consideração a duração dos vídeos e que podem ser sugeridos a visitantes esporádicos individualmente.

Os percursos A e B são voltados para grupos com agendamento prévio. O grupo será dividido em dois grupos menores, sendo reservado o percurso A para o grupo 1 e o percurso B para o grupo 2. 

  • Percurso A 

Há Terra!, Ana Vaz → Faraw ka taama, Seydou Cissé → Trans Amazônica, Luciana Magno → Tomo, Bakary Diallo → About cameras, spirits and occupations, Alto Amazonas Audiovisual → Pacífico, Enrique Ramírez 

Proposta de rota no Percurso A.    
  • Percurso B:

Tocaia, Alixe X e Gustavo Jardim → Jeguatá, Ana Carvalho, Ariel Kuaray Ortega, Fernando Ancil, Patrícia Para Yxapy → L’arbre D’oublier, Paulo Nazareth → Trans Amazônica, Luciana Magno → Danse des masques, Tiécoura N’Daou → Pacífico, Enrique Ramírez

Proposta de rota no Percurso B.
    

Após os grupos terminarem de assistir a todos os vídeos de seus respectivos percursos é feito um círculo com todos presentes para que possamos dialogar. A(o) mediadora(o) pede para que cada grupo descreva sobre o vídeo que iniciou o percurso - Percurso A: Há Terra!, Ana Vaz; e Percurso B: Tocaia, Aline X e Gustavo Jardim.

Sugestões de perguntas guias para a discussão:

  • - Nos dois vídeos, alguns elementos nos colocam como observadores das cenas retratadas, identifique quem são esses observadores atentando-se às falas, ao diálogo, ao ponto de vista utilizado no vídeo e ao conjunto de imagens que os acompanham.
  • - Qual vídeo/vídeos chamou mais atenção do grupo no percurso percorrido? Descreva-o.
  • - Relacione o vídeo que te chamou mais atenção no primeiro vídeo do percurso. Quais elementos existem em comum entre os dois?
  • - Se você tivesse que fazer um vídeo sobre a sua vida, o seu bairro, a sua família ou algo que te interessa, o que você retrataria? O que você gostaria que as pessoas soubessem? Você ocuparia o lugar de observador ou de participante?
  • - Qual a importância de conhecer outras culturas, costumes e modos de vida?

* Atentar-se para comentários de grupos diferentes que podem relacionar entre si.

As obras que iniciam cada percurso trazem reflexões sobre a posição do observador diante das imagens capturadas. Ao resgatar essa percepção durante a discussão, o intuito é guiar os participantes da mediação a se colocarem como agentes observadores e identificarem quais os outros que aparecem através do contexto apresentado nos trabalhos. Esse exercício e toda a discussão pode suscitar questões que envolvem indagar o que um observador pode fazer, como pode agir, quem tem o direito da fala e a importância do ouvir.

“Tomo” e “Faraw ka taama” 

“Trans Amazônica” e “L’Arbre D’Oublier””, “Ipê-amarelo”, “Cine Brasil”, “Cine África”

0 comments

Comment
No comments avaliable.

Author

Info

Published in 21/06/2022

Updated in 21/06/2022

All events in the topic Corpo Educativo e o Acervo Videobrasil:


22/05/2022Reviravolta a partir do Educativo - CopyReviravolta a partir do Educativo - Copy
25/05/2022Perspectivas educativas - Copy
26/05/2022Estratégias educativas - CopyEstratégias educativas - Copy
27/05/2022Intercâmbio entre espaço escolar e espaço expositivo - Copy
31/05/2022Trajetos para o olhar - CopyTrajetos para o olhar - Copy
01/06/2022Educador-público - Copy
02/06/2022Entre Espaços - CopyEntre Espaços - Copy
10/06/2022Reflexões sobre territórios, trânsitos e reencenações - CopyReflexões sobre territórios, trânsitos e reencenações - Copy