Inauguração do porto de Tubarão

01/04/1966View on timeline

Porto de Tubarão

O Porto de Tubarão é um porto brasileiro localizado na ponta do mesmo nome, na parte continental do município de Vitória, capital do Espírito Santo. É um terminal graneleiro do Porto de Vitória.

Inaugurado em 1966, é controlado pela Vale S.A.. É o segundo maior porto de exportação de minério de ferro do Brasil e permite o acesso de navios Graneleiros de grande porte (Very-Large Ore Carriers (VLOC), Ultra-Large Ore Carriers (ULOC), e Ore Oil (O/O)).

História

A construção do Porto de Tubarão foi iniciada em 1962 pela (então empresa de economia mista) - Vale do Rio Doce., no ano em que foram assinados os primeiros contratos de longo prazo para fornecimento de minério de ferro para o Japão e a Alemanha, e sua construção foi totalmente paga com recursos do Tesouro Nacional.

O Porto de Tubarão se constituiu num projeto pioneiro - concebido por Eliezer Batista - que contribuiu para criar um novo processo logístico mundial no transporte de granéis sólidos e líquidos. A participação do Japão nesse empreendimento foi decisiva e a construção do porto de Tubarão é até hoje recordada com simpatia pelos japoneses:

Aqui, merece destaque o projeto pioneiro do Porto de Tubarão, que provocou a maior revelação no transporte mundial de granéis sólidos e líquidos com a consequente evolução, em termos globais, de um novo sistema de logística global, que transformou a '"distância física" em "distância econômica". Conseguiu-se levar um produto de muito baixo valor às maiores distâncias no planeta, de forma econômica.

Os grandes graneleiros e graneleiros-petroleiros, assim como os colossais tankers, foram frutos deste konzept.

A contribuição da siderurgia brasileira proporcionou o primeiro grande salto da Companhia Vale do Rio Doce com contratos a longo prazo e ajuda tecnológica no projeto e construção dos grandes navios (novos materiais para os novos designs e versatilidade dos mesmos). Em decorrência, foi criada a Docenave, que chegou a ser a terceira maior frota de granéis do mundo.

O financiamento

De posse dos contratos de fornecimento de minério de ferro, Eliezer se dirigiu ao Ex-Im Bank, o banco de fomento dos Estados Unidos, para obter um financiamento para a construção do Porto de Tubarão. Mas não teve sucesso algum: voltou de mãos vazias. O banco americano não dava crédito ao Brasil, nem à Vale, nem às siderurgicas japonesas.

Expôs suas dificuldades ao então Ministro da Fazenda, numa audiência que se tornou histórica:

Sem financiamento para construir o Porto de Tubarão, Eliezer recorreu ao ministro da Fazenda de João Goulart (Jango), San Tiago Dantas. “Ele se levantou da cadeira, tirou aqueles óculos de grandes lentes e aros negros, e respondeu: ‘Não tenho recursos para te emprestar, mas vou dar um jeito. Vamos rodar a guitarra’. Fica aqui registrada a revelação que nos valerá o ódio eterno dos monetaristas de canino agudo que odeiam a economia física. (…) San Tiago mandou imprimir dinheiro.

Fundamentos econômicos

Tubarão tornou-se a ponte que ligou a Vale S.A. ao resto do mundo e permitiu à empresa aumentar significativamente o conjunto das exportações brasileiras.

Projetado para receber navios de um tamanho que ainda nem se fabricava, o Porto de Tubarão foi um pioneiro no mundo em sua categoria.

"Foi uma loucura para a época, pois não havia 'ship design', nem aço para esse tamanho de navio", conta Eliezer. Apesar do enorme risco envolvido, o Japão aceitou construir os navios. Foi um casamento de interesses."

Benefícios colaterais

A inauguração do Porto de Tubarão em 1966, e sua tecnologia pioneira, geraram um grande entusiasmo dentre os investidores japoneses, e muito contribuiu para elevar o conceito internacional do Brasil.

Sua construção atraiu, de imediato, uma verdadeira "enxurrada" de novos investimentos estrangeiros ao Brasil, tais como a Celulose Nipo Brasileira S.A.- Cenibra, a Companhia Siderúrgica de Tubarão, a Albrás - Alunorte (alumina e alumínio),a Mineração da Serra Geral (minério de ferro) e a Nova Era Silicon (ligas de ferrosilício, etc..) e o primeiro grande projeto no exterior a CSI (Califórnia Steel Industries/Joint Venture da Vale com a Kawasaki), o que, de certa forma, contribuiu para absolver o então ministro da fazenda San Tiago Dantas do "pecado" de ter autorizado a impressão de dinheiro para sua criação. 




0 comments

Comment

No comments avaliable.

Author

Info

Published in 26/02/2021

Updated in 26/02/2021

All events in the topic História:


Invalid DateTratado de Tordesilhas
Invalid DateChegada dos portugueses no ES
Invalid DatePadre AnchietaPadre Anchieta
Invalid DateChegada da Família real
Invalid DateSaint Hilaire
Invalid DateIndependência do Brasil
Invalid DateCharles Darwin no Brasil
Invalid DatePrimeira Estrada de ferro
Invalid DateAbolição da escravaturaAbolição da escravatura
Invalid DatePrimeira usina elétrica no ESPrimeira usina elétrica no ES
Invalid DateRevolução de 30Revolução de 30
Invalid DateFundação da vale do rio doceFundação da vale do rio doce
Invalid DateDécada de 1960 - Rodovias
Invalid DateCampus de Alegre da Ufes
Invalid DateDécada de 1970 - Samarco
Invalid DateInauguração do MUSES