Assinado o tratado de Windsor, aliança entre Portugal e Inglaterra

09/05/1386View on timeline

O Tratado de Windsor estabelecido entre Portugal e a Inglaterra, sendo a mais antiga aliança diplomática do mundo ainda em vigor. Foi assinado em Maio de 1386 após os ingleses lutarem ao lado da Casa de Avis na batalha de Aljubarrota e com o sentido de renovar a Aliança Anglo-Portuguesa estabelecida pelos dois países em 1373.

A representar o Reino de Portugal esteve Lourenço Anes Fogaça.

A cópia portuguesa do Tratado de Windsor, conservada no Arquivo Nacional Torre do Tombo, em Lisboa
Casamento de João I, rei de Portugal e Filipa de Lencastre, filha de João de Gante.

História

A Inglaterra e Portugal estabelecem um Tratado de Aliança em 1373 tendo os ingleses lutado juntamente com a Casa de Avis na batalha de Aljubarrota contra o Reino de Castela em 1385.

Com a vitória na batalha de Aljubarrota, o exército castelhano fora derrotado com perdas de tal forma graves que impediram João I de Castela de tentar nova invasão nos anos seguintes. O mestre da Avis D. João foi reconhecido como rei de Portugal, pondo um fim à crise de sucessão de 1383-1385 e à anarquia que grassava no território português. O reconhecimento pelo reino de Castela dar-se-ia apenas em 1411, com a assinatura do Tratado de Ayllón-Segovia.

A aliança Luso-Inglesa foi renovada em Maio de 1386. Portugal e a Inglaterra (D. João I e Ricardo II, respetivamente) assinaram o Tratado de Windsor, confirmando formalmente a aliança que haveria de servir de alicerce às relações bilaterais entre ambos durante mais de 600 anos. O último acto a firmar esta aliança foi o casamento real entre Filipa de Lencastre, filha de João de Gante, duque de Lencastre, e D. João I, realizado em 1387. O comércio bilateral floresceu através dos armazéns ingleses no Porto: bacalhau e tecidos eram trocados por vinho, cortiça, sal e azeite. O filho mais novo do casal, Henrique (Príncipe Henrique, o Navegador), liderou a Época Áurea de Portugal através das suas viagens de descobertas marítimas.

Invocações do Tratado de Windsor

O tratado de Windsor, ainda válido, estabelece um pacto de apoio mútuo entre Portugal e Inglaterra (hoje o Reino Unido).

Durante a dinastia Filipina, de 1580 a 1 de dezembro de 1640, dada a união ibérica e a guerra entre Espanha e Inglaterra, o tratado foi suspenso, permitindo confrontos como o saque da Nau portuguesa Madre de Deus em 1592.

O Reino de Portugal usou-o em 1640, para expulsar os reis de Espanha (da casa dos Habsburgos).

No século XIX o governo britânico contornou o tratado ao responder com um ultimato a Portugal quando este, por ocasião da Conferência de Berlim, apresentou um projeto — Mapa Cor-de-Rosa — em que reivindicava o território entre Angola e Moçambique.

Já no século XX, o Reino Unido invocou-o por ocasião da Primeira Guerra Mundial, em maio de 1916, pedindo o apresamento de todos os navios germânicos na costa lusitana. Esta atitude justificou a declaração oficial de guerra de Portugal em relação à Alemanha e seus aliados, a 9 de março de 1916 (apesar dos combates em África desde 1914).

Voltou novamente a ser invocado na Segunda Guerra Mundial permitindo o uso da Base das Lajes pelos Aliados.

Portugal e Inglaterra A Maior e Antiga Aliança no Mundo

0 comments

Comment

No comments avaliable.

Author

Info

Published in 11/03/2019

Updated in 19/02/2021

All events in the topic Guerras e Revoltas:


Invalid DateRevolta de 31 de janeiro de 1891Revolta de 31 de janeiro de 1891
Invalid DateConquista de CeutaConquista de Ceuta
Invalid DateGuerra da IndependênciaGuerra da Independência
Invalid DateA Batalha de AljubarrotaA Batalha de Aljubarrota
Invalid DateRevolução de 28 de Maio de 1926Revolução de 28 de Maio de 1926
Invalid DateRevolução 25 Abril 74Revolução 25 Abril 74
Invalid DateGuerra Colonial PortuguesaGuerra Colonial Portuguesa
Invalid DatePrimeira invasão francesa de PortugalPrimeira invasão francesa de Portugal
Invalid DateTerceira invasão francesa de PortugalTerceira invasão francesa de Portugal
Invalid DateSegunda invasão francesa de PortugalSegunda invasão francesa de Portugal