Durante a história, fazer um registro de determinado momento não somente se tornou um hábito do dia a dia, como também uma arte. Entretanto, no início, essa função de registro era designada exclusivamente para comprovar fatos que antes, eram gravados em pedras, gravuras, pinturas, papiro, entre outros suportes de registro. Conforme as civilizações se desenvolvendo, o registro dessa evolução começou a ser colocado ainda mais em prática, assim, a criação da fotografia aconteceu.

Atualmente, esta prática tem se popularizado tanto, que em qualquer lugar, ou evento é possível encontrar um indivíduo com uma câmera, pronta para registrar, fotografar, salvar e compartilhar. Portanto, ao longo dos anos, não apenas iniciamos um aperfeiçoamento no ato de manusear a câmera, como também na edição, na manipulação da imagem e na exposição dos conteúdos elaborados por nós mesmos.

Entretanto, no presente artigo discorreremos sobre alguns subtemas da fotografia, como por exemplo: sua evolução física, principais precursores na história, as relações entre fotografia e arte e ainda citaremos cinco grandiosos artistas que se destacam por seus trabalhos de fotografia. 

Neste artigo, não deixaremos de destacar também a importância desta tecnologia para nossa sociedade. A fotografia é a grande responsável pelo surgimento do cinema e da televisão.

O registro de momentos, funciona na sociedade como forma de contar histórias através das fotos, pois ao visualizarmos uma imagem, automaticamente observamos suas condições de produção, a época no qual está inserida, entre outras questões.

Sendo assim, podemos considerar a fotografia uma maneira de se contar histórias, assim como a Timelinefy, pois caso ainda não saiba, a Timelinefy  é uma ferramenta digital que não apenas conta histórias, mas também possibilita que as histórias sejam narradas de diferentes maneiras e as informações sejam organizadas no tempo, de forma cronológica, por meio da estrutura de linhas do tempo.

Por ser digital a ferramenta torna essa atividade uma experiência dinâmica e interativa.

A evolução da fotografia

Etimologicamente, a palavra fotografia pertence ao grego e sua tradução significa “desenhar com luz e contraste”, sendo assim, ao refletirmos, o ato de desenhar estaria atrelado à representação, por se tratar de uma técnica que cria uma imagem por exposição e a fixa em uma superfície sensível.

A primeira foto que foi reconhecida data de 1826 (anterior à criação do vídeo, cinema, entre outras tecnologias) e é atribuída ao francês Joseph Nicéphore Niépce. No entanto, a invenção da fotografia não é obra de um único autor, mas um processo de progresso acumulado por muitas pessoas ao longo dos anos.

Se, por um lado, os princípios básicos da fotografia foram estabelecidos há décadas e dificilmente mudaram desde a introdução do filme fotográfico colorido, por outro lado, os avanços tecnológicos melhoraram sistematicamente a qualidade das imagens produzidas, simplificando assim o processo de fotografia, a produção, redução de custos e a popularização do uso da fotografia, hoje em dia.

A primeira fotografia realizada pelo francês Joseph Nicéphore Niépce foi realizada por técnicas primitivas. Banhada em uma placa de estanho coberta com um derivado de óleo fotossensível chamado Betume da Judéia, a imagem foi feita com uma câmera e precisou ser exposta à luz do sol por cerca de oito horas. Nièpce chamava esse processo de “Heliografia”, com a luz do sol gravada.

Ao mesmo tempo, outro francês, Daguerre, usou uma câmera escura para produzir efeitos visuais em uma técnica chamada “Diorama”. Daguerre e Niépce trocaram contato por vários anos e finalmente estabeleceram uma parceria.

Após a morte de seu parceiro Nièpce, Daguerre desenvolveu um processo que usava vapor de mercúrio para reduzir o tempo de desenvolvimento de horas para minutos. Esse processo é chamado de daguerreotipo (relacionado ao nome de seu criador).

Daguerre descreveu seu processo criativo para a Academia Francesa de Ciências e a Academia de Belas Artes, e logo depois solicitou uma patente para invenção no Reino Unido. A popularidade dos daguerreotipos levaram as pessoas a especularem sobre um possível “fim da pintura”, o qual movimentou discussões, resultando assim na inspiração do impressionismo (movimento artístico).

Entretanto, Hércules Florence (outro francês) obteve melhores resultados que Daguerre por causa de seus efeitos negativos. No entanto, apesar de tentar espalhar sua invenção e sendo o primeiro a repercutir a palavra “fotografia”, na época acabou não sendo reconhecido. E logo depois, suas técnicas foram resgatadas por Boris Kossoy até 1976, e posteriormente, pela grande empresa Kodak.

A empresa abriu as portas para todos através de apresentações no mercado, lançando novas máquinas fotográficas, alterando a tecnologia e as técnicas, prometendo que todos poderiam tirar fotos sem a necessidade de fotógrafos profissionais, por isso lançou a câmera e o filme denominado “caixão”, com um rolo substituível e portátil.

É válido lembrar a grande importância da empresa Kodak para a fotografia, e a evolução das fotos que desde sempre eram registradas em preto e branco. O primeiro filme colorido moderno foi o Kodachrome, introduzido em 1935 e baseado em três emulsões coloridas, esta técnica foi baseada na tecnologia desenvolvida pela Agfa-color em 1936. O filme colorido instantâneo foi introduzido pela Polaroid, um dos modelos mais conhecidos da Kodak, em 1963, trinta anos após a criação do filme colorido Kodachrome. 

Os avanços tecnológicos da fotografia fizeram com que a técnica se tornasse acessível, e passasse a ser considerada oitava arte. Além disso, a fotografia impressa nunca se tornou obsoleta, mesmo com a chegada da imagem digital a impressão de fotografias ainda é bastante recorrente. 

 

A fotografia como expressão artística 

Sim! Isso mesmo, a fotografia não apenas resistiu muito para ser considerada uma forma de expressão artística, como também se firmou como a oitava arte (após a sétima arte, sendo o cinema). Ao longo de sua evolução, a fotografia ainda era considerada apenas um registro imagético ou uma tecnologia que “ameaçava” outras formas de artes, como a pintura, por exemplo. Uma  construída pelo imaginário dos pintores e artistas da época, que desconheciam e sentiam medo de que a pintura se tornasse obsoleta. Entretanto, isso nunca aconteceu, pois ambas as técnicas conquistaram seus espaços na sociedade.

Tardiamente, em 1970 a fotografia tornou-se a aposta de alguns artistas, por se tratar de um material mais resistente e mais fácil de manusear. Foi assim que  inúmeros artistas começaram a se expressar através da fotografia, embora há quem diga que muitos artistas nunca participaram do processo real da fotografia, mas apenas da idealização de tudo e logo após a foto acontecia.

 

5 grandes artistas da fotografia 

Conheça agora alguns artistas conhecidos por seus grandes trabalhos fotográficos. Tais personalidades são consideradas artistas, por olharem além da lente das câmeras, focalizando em determinadas situações, escolhendo protagonistas para suas fotografias e marcando a história com suas obras. 

Edgar Martins

Edgar Martins é um fotógrafo português que nasceu em Évora, cresceu em Macau e vive atualmente em Bedford, no Reino Unido, o seu trabalho reconhecimento internacionalmente, principalmente por concorrer a grandes prêmios internacionais de fotografia. Apesar de muito jovem, o fotógrafo apresenta vasta experiência e um olhar sensível sobre a vida e sobre a arte. 

Recentemente, o fotógrafo foi escolhido na categoria: “Natureza Morta”, e por sua a série fotográfica, “Silóquios e Solilóquios sobre a Morte, a Vida e outros Interlúdios”, que representa uma variedade de cartas e outros objetos usados em crimes e suicídios. A categoria Natureza Morta é conhecida em grandes eventos da área, por se tratar de fotografias com protagonistas não vivos, sendo eles objetos do dia a dia ou de determinado local. Edgar foi considerado também um dos melhores fotógrafos do mundo nessa recente premiação de fotografias da SONY. O trabalho de Edgar Martins pode ser conhecido em seu site, no qual ele disponibiliza seu seu extenso portfólio.Veja aqui.

Sebastião Salgado

Diferentemente de Edgar Martins, o artista mencionado agora está mais acostumado a fotografar natureza viva, sendo pessoas, animais e situações específicas.

Sebastião Ribeiro Salgado Júnior é um fotógrafo brasileiro internacionalmente reconhecido, nascido em Aimorés, Minas Gerais, no ano de 1944. Entre os trabalhos de destaque do brasileiro está o registro no deserto kuwaitiano durante a Guerra do Golfo, de um trabalhador com seu corpo coberto por petróleo, com olhar abatido e desesperançoso. Salgado após organizar todas essas fotografias realizadas durante a década de 90, lançou um de seus precursores trabalhos em 1996, denominado “Trabalhadores” o que o levou a receber praticamente todos os principais prêmios de fotografia do mundo como reconhecimento por seu trabalho.

Steve McCurry

Assim como Sebastião Salgado, o fotógrafo estadunidense Steve McCurry ficou reconhecido pelo registro da famosa imagem da “Menina Afegã”, cujo rosto foi capa da revista National Geographic, reconhecida por todo o mundo. Além de ser um fotógrafo que compõe o corpo profissional da revista National Geographic, Steve apresenta um amplo trabalho, no qual documenta momentos, espaços e rostos marcantes.

Foi seu registro no Afeganistão que lhe concedeu o prêmio “Robert Capa”, como melhor reportagem fotográfica, concedida apenas aos melhores fotógrafos que expõe sua coragem excepcional e dedicação na profissão. 

Henri Cartier-Bresson 

Assim como os outros artistas, Henri Cartier-Bresson ficou conhecido por fotografias históricas e memoráveis. Henri se tornou o primeiro fotógrafo da Europa Ocidental a registrar livremente a vida soviética. Ele registrou o fim da vida de Gandhi e o eunuco chinês após a Revolução Cultural.

Na década de 1950, vários livros com suas obras foram publicados, o mais importante deles é o “Imagesàla Sauvette”, o título em inglês do livro é “The Decisive Moment” (1952). Em 1960, foi realizada uma exposição em larga escala nos Estados Unidos, exibindo 400 obras em comemoração ao fotógrafo francês. É importante ressaltar também, que Henri, ficou conhecido por realizar trabalho junto com outros fotógrafos precursores, sendo o principal: Robert Capa que será apresentado no próximo tópico.

Robert Capa

Nascido em Endre Ernő Friedmann em Budapeste, no mês de outubro de 1913,Robert Capa foi um fotógrafo húngaro, considerado, um dos mais famosos fotógrafos de guerra, Capa relatou os conflitos mais importantes da primeira metade do século XX: a Guerra Civil Espanhola, a Segunda Guerra Sino-Japonesa e a Segunda Guerra Européia.

Robert morreu na Guerra da Indochina, em maio de 1954, ao pisar uma mina terrestre. Seu corpo foi encontrado com as pernas dilaceradas, mas, a câmera permanecia entre suas mãos. Seu trabalho o tornou uma referência mundial para a fotografia e diferente dos outros artistas, Capa não recebeu muitos prêmios em vida, mas cedeu o seu nome postumamente, para grandes prêmios de fotografia no mundo.

 

Conclusão 

Viu como a fotografia é tão importante para a sociedade? Não só apenas por suas funcionalidades engenhosas, mas também por representar uma das inúmeras formas de expressões artísticas. A história e todo o percurso da fotografia é muito importante para nosso conhecimento pessoal, como também essencial para a formação e evolução do nosso mundo contemporâneo.